topo

                                                                                   Estações Linha 1


  
     

Estácio         

  
Em 1980 foi inaugurada a Estação Estácio, ponto de convergência das linhas 1 e 2 do Metrô.
   Diariamente, cerca de 21 mil pessoas passam pela estação Estácio e a grande maioria faz transferência para a Linha 2.
   A estação possui dois acessos, nas ruas Machado Coelho sentido Prefeitura e Joaquim Palhares, para o Largo da Estácio.
   Também é a estação onde encontram-se um estande do SAC e a central de Achados e Perdidos.

Cardeal Arco Verde         

          
Inaugurada em julho de 1998, a Estação Arco Verde é considerada uma das mais belas e modernas estações de metrô do país. Ao longo dos 48m de profundidade, os clientes se deparam com instalações modernas e coloridas e uma arquitetura diferente. Nela transitam aproximadamente 60 mil pessoas por dia.
          Localizada na Praça Cardeal Arco Verde, em Copacabana, entre as ruas Tonelero e Barata Ribeiro, a estação possui um acesso somente, na rua Rua Barata Ribeiro. Assim como na estação Estácio, em Arcoverde localiza-se um estande do SAC, um dos canais de comunicação entre você e o Metrô Rio.

Botafogo

          A estação de Botafogo recebe um fluxo de aproximadamente 75 mil clientes por dia. Seu acessos são pelas ruas São Clemente e Voluntários da Pátria, que abrigam alguns bares, faculdades e restaurantes, além do Botafogo Praia Shopping.
          A estação foi inaugurada em abril de 1981 e oferece ao cliente do Metrô Rio uma grande variedade de serviços nos quiosques comerciais.

Flamengo

          Na rua Marquês de Abrantes está localizada a Estação Flamengo, inaugurada 1981. Com uma média de fluxo diário de 29 mil passageiros, serve a um bairro residencial de grande movimento. A estação dá acesso a lugares que são considerados verdadeiras paisagens: a Praia do Flamengo e o Aterro do Flamengo.
          Você pode acessar a estação pelas ruas Marques de Abrantes ou pela Avenida Paulo VI. A princípio, seu nome era Morro Azul, mas por uma reivindicação dos moradores do bairro, passou a se chamar Flamengo.

Largo do Machado

          Desde 1981, os moradores da região que compreende o Largo do Machado, Laranjeiras e Cosme Velho, dispõem da qualidade e rapidez do Metrô Rio. A estação Largo do Machado possui dois acessos, na Praça Largo do Machado e na Rua do Catete.
           Ao todo, são 40 mil pessoas que passam por esta estação de Segunda a Sábado, contando com nosso serviço para se deslocarem para o trabalho, às compras, lazer e estudos.

Catete

            Localizada entre o Palácio do Catete e o que sobrou do casario antigo da rua de mesmo nome, hoje ocupado por pensões, pequenos hotéis e um intenso comércio, está a estação Catete.
           De Segunda a Sábado passam por lá cerca de 20 mil pessoas. A estação possui 4 acessos: Rua do Catete, Rua Silvério Martins, Palácio da República e, outra na Rua do Catete. Os dois primeiros acessos são somente para a saída de passageiros.


 Glória

         
O Bairro Glória foi um dos primeiros contemplados com a inauguração do Metrô, em 1979. A estação possui um fluxo diário de 18 mil clientes e suas saídas levam às ruas do Russel, Benjamin Constant e Santo Amaro, cheias de movimento e história.
          Na rua do Russel localiza-se o Hotel Glória, construído para hospedar os visitantes que, em 1922, vieram de todo o mundo para as festas do centenário de nossa Independência. Também dá acesso a uma das mais belas e famosas igrejas do Rio, o Outeiro da Glória.

Cinelândia

           Uma das nossas primeiras estações inauguradas em 1979, a Estação Cinelândia recebe um fluxo diário de 50 mil pessoas. A grande maioria está sempre com pressa, indo para o trabalho ou voltando para casa. O que essas pessoas não sabem é que o nome verdadeiro do lugar é Praça Marechal Floriano, mas desde a inauguração dos cinemas, nas primeiras décadas do século XX, passou a ser conhecido como Cinelândia.
          Ali, sobrevivem imponentes os prédios do Theatro Municipal, da Biblioteca Nacional e do Museu Nacional de Belas Artes, que hoje convivem com os comícios populares em frente ao Palácio Pedro Ernesto, o Bar Amarelinho e os bailes do tradicional Bola Preta.
          A estação Cinelândia possui 4 acessos (Praça Floriano, Rua Pedro Lessa, Av. Rio Branco e Pça Mahatma Gandhi).

Carioca
 
         
 A estação mais movimentada do metrô, com cerca de 82 mil pessoas circulando de Segunda a Sábado, também é o palco shows e eventos promovidos e apoiados pelo Metrô Rio.
          Situada no Largo da Carioca, a estação, inaugurada em janeiro de 1981, é resultado do aterro da Lagoa de Santo Antônio, que no século XVII estendia-se até a área hoje conhecida como Cinelândia. É também nossa maior estação e possui 3 acessos: pela Av. Rio Branco, Av. Chile e Rua da carioca com Uruguaiana (acesso Convento).
          Atualmente, o Largo é ocupado pelo comércio informal e por artistas populares. A estação Carioca tornou-se ponto de encontro com os eventos promovidos lá, como a Estação da Música fazendo com que as pessoas que passam por ali curtam nossa boa MPB.

Uruguaiana

           A Estação Uruguaiana, inaugurada em 1980, está localizada no coração do comércio popular do centro do Rio de Janeiro. Através dela, é possível chegar a um dos mais famosos centros comerciais do Rio de Janeiro, o tradicional Saara.
          Os 4 acessos da estação fazem ligação com as ruas Uruguaiana, Senhor dos Passos e Alfândega. Os mais de 65 mil clientes que passam pela estação diariamente têm diversos destinos: comprar no Saara, trabalho, almoço, entre outros.

Presidente Vargas

          
Também inaugurada no início da operação metroviária do Rio de Janeiro, em 1979, a estação Presidente Vargas localiza-se em um dos pontos mais movimentados do Rio de Janeiro. Quem salta nessa estação desembarca invariavelmente no meio de uma multidão que atravessa apressada as largas pistas, emolduradas, de um lado a outro, por um paredão de prédios de escritórios. E então não temos dúvida de que estamos em uma metrópole.
           A estação Presidente Vargas recebe, de Segunda a Sábado, cerca de 17 mil clientes, indo para o trabalho, saindo para o almoço ou voltando para casa, em sua grande maioria.
Possui 3 acessos: Palácio do Itamaraty, Av. Presidente Vargas/sentido Zona Sul e Rua Regente Feijó.

Central

        
 A Estação Central faz a ligação entre a rede do Metrô e a estação Pedro I, da SuperVia, na Central do Brasil. Cerca de 42 mil pessoas passam por esta estação de Segunda a Sábado, a maioria delas aproveita a ligação com a linha férrea ou com as linhas de ônibus da Central.
          Seus 5 acessos levam direto ao interior da Estação Central do Brasil, ao lado aposto da Avenida Presidente Vargas, onde está o Campo de Santana, também conhecido como Praça da República e ainda ao Palácio de Caxias (Ministério do Exército).
          Somados, os trens, o Metrô e o terminal de ônibus tentam dar vazão ao fluxo diário de trabalhadores que chegam ao centro

Praça Onze

         
Inaugurada em 1979, junto com o início das operações do Metrô do Rio de Janeiro, a estação Praça Onze recebe diariamente cerca de 13 mil clientes.
          No Carnaval, serve aos foliões que vão para o Sambódromo, construído em 1980 e projetado por Oscar Niemeyer para receber o desfile das escolas de samba.
          A Estação Praça Onze, que possui um acesso pela rua Laura Araújo, ainda oferece a facilidade de estacionamento abundante, para quem prefere deixar ali o carro e seguir seu trajeto pelo Metrô.

Afonso Pena

          Em 1982 foi inaugurada a estação Afonso Pena, na Tijuca, bairro servido por três estações. Localizada na praça Afonso Pena, é acessível também pela rua Doutor Stamini.
          A região é residencial e as imediações da Afonso Pena ainda são tranqüilas. Cerca de 23 mil pessoas circulam por esta estação, contando com a qualidade do nossos serviço, de Segunda a Sábado.

São Francisco Xavier

           Situada na avenida Heitor Beltrão, a Estação São Francisco Xavier localizada-se entre a Igreja de mesmo nome e o Teatro Ziembinski. Com um fluxo diário de aproximadamente 20 mil passageiros, a estação, inaugurada em 1982, possui uma saída com dois acessos: um para a Igreja São Francisco Xavier e outra para o Engenho Novo com Av. Heitor Beltrão.

Saens Peña

          Estação terminal da linha 1 do Metrô, a Saens Peña é um importante pólo comercial. É o coração da Tijuca. Inaugurada em 1982, a estação recebe, diariamente, um fluxo de cerca de 80 mil pessoas. É a segunda estação mais movimentada do Metrô.
          Está localizada bem no centro da Praça Saens Peña e possui 5 acessos: Rua Conde de Bonfim c/ Rua Gal. Roca, Praça Saens Peña, Rua Carlos de Vasconcelos, Rua Major Ávila c/ Conde de Bonfim e Rua Conde de Bonfim com Rua Gal. Roca.

 

Estações Linha 2

Pavuna

         
No final da Linha 2 está a estação da Pavuna, na fronteira do Município do Rio de Janeiro com a Baixada Fluminense. Inaugurada em 31 de agosto de 1998, seu fluxo já supera 26 mil pessoas por dia, a tornando a estação mais movimentada da linha 2.
          No projeto original do Metrô, a existência desta estação já estava prevista. O seu maior objetivo era facilitar a ida ao trabalho dos moradores da baixada, sendo uma outra alternativa de transporte além do trem e do ônibus.
          A maioria das pessoas que passam pela Pavuna são trabalhadores e estudantes. Com duas saídas, a estação dá acesso à Av. Automóvel Clube nos sentidos Centro e Baixada.

Engenheiro Rubens Paiva

      
   Inaugurada em 24 de setembro de 1998, época em que foram concluídas as obras das últimas estações da Linha 2, a estação Engenheiro Rubens Paiva localiza-se na Avenida Automóvel Club e fica perto de duas áreas residenciais com conjuntos habitacionais financiados pela CEF, Engenheiro Rubens Paiva e Presidente Médici.
          A estação abre para os primeiros clientes às 5h30 da manhã e fecha às 23h. Diariamente recebe um fluxo de 6 mil pessoas, a maioria moradores dos conjuntos habitacionais que existem ao lado da estação. O maior movimento fica na parte da manhã quando os clientes estão se dirigindo ao trabalho

  Acarí – Fazenda Botafogo

        
 Estação Acari/Fazenda Botafogo, inaugurada em 1998, fica em uma importante área industrial da Zona Norte, além oferecer aos moradores da região uma excelente opção de transporte. De Segunda a Sábado, cerca de 4 mil pessoas contam com o transporte metroviário para chegarem aos seus destinos.
          A estação recebeu o nome original do lugar, que foi um engenho de açúcar no passado. Sua construção é uma antiga reivindicação dos moradores de Fazenda Botafogo. Seus acessos são através da Avenida Automóvel Clube, nos sentidos Pavuna e Centro.

Coelho Neto

          
 Coelho Neto, cujo nome é uma homenagem ao escritor falecido em 1934, hoje tem cerca de 35 mil habitantes. A linha 2 do Metrô nasceu em 1981, mas Coelho Neto só foi ter sua estação em setembro de 1998.
           Com a inauguração da Estação, cerca de 8 mil pessoas se beneficiaram, usufruindo da rapidez do transporte metroviário para chegar ao centro da cidade, à Zona Sul e a vários outros pontos da cidade onde há Metrô.
A estação possui 2 acessos na Av. Automóvel Clube, uma sentido Pavuna(CEASA) e outra, para o Centro.

Colégio

         
Desde 1998, os 28 mil habitantes de Colégio contam com a rapidez do Metrô para chegarem aos seus destinos sem complicação. Cerca de 8.500 pessoas passam por esta estação diariamente, a grande maioria faz transferência para a Linha 1 e segue para o trabalho.
          A estação possui 2 acessos na Av. Automóvel Clube, nos sentidos Centro e Pavuna.
          A construção da estação do Metrô em Colégio compreendeu também a instalação de uma quadra esportiva e de brinquedos para as crianças, como em outras estações da linha 2, criando uma nova forma de integração dos moradores da área ao Metrô.
          Nas imediações da Estação Colégio ficam as comunidades Pára-Pedro e Parque São Jorge, além de indústrias importantes, como a Cibran e a Vulcan.

Irajá

         
 Inaugurada em setembro de 1998, com o processo de expansão do metrô para a baixada, a Estação Irajá foi construída no encontro das avenidas Automóvel Clube e Monsenhor Félix, as mais importantes do bairro.
          Seus acessos ocorrem na Avenida Automóvel Clube, nos sentidos Centro e Pavuna. Por lá, passam cerca de 15 mil passageiros, que desde a inauguração da estação, podem aproveitar mais o tempo, pois contam com nossa rapidez.

Vicente de Carvalho

           O bairro Vicente de Carvalho cresceu puxado pelo trem que passava pela antiga Estrada de Ferro Rio D'Ouro. Hoje grande parte de seus moradores está concentrada no Morro do Juramento.
          Em 1996, os moradores da região foram beneficiados com a extensão do Metrô até Vicente de Carvalho, oferecendo uma opção de transporte rápida, segura e eficiente.
          De Segunda a Sábado, aproximadamente 18 mil pessoas passam pela estação, que, com uma saída na Av. Automóvel Clube, dá acesso para os sentidos Pavuna (Carrefour) e Centro (Rua Guaíba

Tomás Coelho

           A Estação Tomás Coelho, inaugurada em setembro de 1996, é uma das paradas ao longo da movimentada avenida Avenida Automóvel Clube. Seu fluxo diário é de aproximadamente 4 mil pessoas.
          Em sua maior parte, as viagens dos usuários do Metrô referem-se ao percurso casa-trabalho. Mas o pleno funcionamento da linha 2 trouxe a possibilidade de democratização também das áreas de lazer da cidade.
          A estação possui uma saída, que se divide nos sentidos Pavuna e Centro, ambas pela Av. Automóvel Clube.

Engenho da Rainha

          Inaugurada em março de 1991, a Estação Engenho da Rainha está localizada na Avenida Automóvel Clube, entre os conjuntos residenciais Engenho da Rainha e dos Músicos.
          Com uma saída, com dois acessos - Centro e Pavuna, a estação recebeu o nome do bairro, que já foi residência da rainha Carlota Joaquina. De Segunda a Sábado, possui um fluxo de 10 mil clientes, que contam com o atendimento sempre prestativo dos colaboradores que trabalham ali.

Inhaúma

           Em março de 1983, foi inaugurada a estação Inhaúma, que fica na Avenida Automóvel Clube, próximo ao Cemitério de Inhaúma. O bairro já foi uma importante freguesia rural dos jesuítas.
          Hoje a Região Administrativa de Inhaúma (a XII RA), que compreende também Maria da Graça, Del Castilho, Engenho da Rainha e Tomás Coelho, tem mais de 127 mil habitantes e é uma importante área industrial, apresentando uma das maiores receitas da Zona Norte.
          Assim como a maioria das estações da Linha 2, Inhaúma possui 1 saída, com dois acessos na Av. Automóvel Clube: sentidos Centro e Pavuna. 10 mil pessoas passam por esta estação de Segunda a Sábado, contando com a regularidade e a rapidez do Metrô para se locomoverem.

Del Castilho

          Aproveitando parte do trajeto da antiga Estrada de Ferro Rio D´Ouro, em março de 1983, foi inaugurada a Estação Del Castilho.
          Com seu movimento de 12 mil pessoas por dia é garantido pela freqüência no Nova América Outlet Shopping, construído onde antigamente era a famosa fábrica de tecidos, hoje pólo de compras e lazer.
          A estação possui um acesso na Av. Automóvel Clube, que se divide nos sentidos Centro e Pavuna.

Maria da Graça

          A Estação Maria da Graça, inaugurada em março de 1983, está localizada entre a Avenida Suburbana e a Favela do Jacarezinho, e possui um fluxo diário de cerca de 13 mil passageiros.
          A estação tem um acesso, que se divide nos sentidos Rua Antônio de Freitas (Pavuna) e Linha Férrea (Jacarezinho).

Triagem

          Inaugurada em junho de 1988, a Estação Triagem está situada entre as ruas Bérgamo e Licínio Cardoso. Vizinha à parada de trem de mesmo nome, a estação serve também aos bairros do Rocha e de Benfica. Com uma saída, dá acesso às ruas Bérgamo e Francisco Manoel.
          E são os moradores dessa região os grandes beneficiados com a chegada do Metrô. De Segunda a Sábado, cerca de 8 mil pessoas passam pela estação, contando com o atendimento eficiente dos colaboradores que trabalham na Estação Triagem.

Maracanã

         
A construção do maior estádio do mundo alterou radicalmente a paisagem da área compreendida entre a Praça da Bandeira, São Cristóvão, Tijuca e Vila Isabel. No final dos anos 60 o local foi mais uma vez modificado, com a edificação do campus da Universidade Estadual do RJ. Em 1981, a inauguração da Linha 2 do Metrô, com apenas as estações Maracanã e São Cristóvão, beneficiou milhares de cariocas, que passaram a contar com o meio de transporte mais rápido e seguro.
          Com uma saída e dois acessos (Av. Presidente Castelo Branco/Radial Oeste e Praça da bandeira), e um fluxo diário de 9 mil clientes, a estação facilitou a vida de moradores da região, estudantes da UERJ e torcedores.

São Cristóvão

          
Cerca de 19 mil clientes circulam diariamente pela estação São Cristóvão, que dá acesso ao terminal ferroviário da SuperVia, para a Quinta da Boa Vista e para a Praça da Bandeira. A ligação do Metrô com as linhas de trem é fundamental para São Cristóvão. A Quinta da Boa Vista é um dos locais favoritos de lazer do carioca, não só devido aos seus encantos naturais e belo paisagismo, mas também pelas opções culturais que oferece aos visitantes, como o Museu Nacional e o Jardim Zoológico.
          Possui 4 acessos: Praça da Bandeira, Radial Oeste, Estação Maracanã da SuperVia e Quinta da Boa Vista

Fonte: www.metrorio.com.br