Principais Ferrovias
Principais Ferrovias
Principais Empresas
Ferroviárias S.A.
Empresas Ferroviárias
Urbanas
Companhia Brasileira de
Trens Urbanos
Trens Turísticos

As primeiras ferrovias construídas no Brasil foram estimuladas por capitais privados, nacional ou de países estrangeros, que tinham o desejo de se obter uma infraestrutura de transporte ferroviário capaz de levar a produção agrícola dos interiores aos principais centros urbanos e portos brasileiros.

Assim, começou a se desenvolver o transporte ferroviário no Brasil, passando a integrar alguns dos estados brasileiros, buscando uma forma eficiente de transportar pessoas e cargas de maneira mais rápida, segura e em grandes quantidades.

Por volta da década de 50, o transporte ferroviário brasileiro passou por algumas crises devido ao processo de industrialização e de urbanização que favoreceu o transporte rodoviário no país. As empresas que eram lucrativas passaram a falir e surgiu a necessidade da estatização de várias companhias ferroviárias.

Surge então, em 1957, a Rede Ferroviária Federal S/A (RFFSA) que unificou muitas das ferrovias brasileiras. Já a Ferrovia Paulista S/A (Fepasa) incorporou as estradas de ferro no estado de São Paulo. Com a crise do Petróleo na década de 70 e crises econômicas brasileiras, a Fepasa e a RFFSA tornaram-se insustentáveis.

Para reverter esse quadro, aconteceu a privatização das ferrovias sob controle das estatais, sendo a RFFSA incluída no Programa Nacional de Desestatização (PND) por meio do Decreto nº473/1992. A RFFSA entrou em liquidação em 1992 e em 1998 a malha da Fepasa foi incorporada à RFFSA, acontecendo a extinção automática da estatal paulista.

Em 2007, a RFFSA foi extinta oficialmente e as principais ferrovias nacionais passaram a ser geridas por grandes operadores privados, que realizam exclusivamente o transporte de carga, enquanto que apenas uma pequena parte da malha ferroviária passou a pertencer ao poder estatal.

A tabela abaixo apresenta as principais ferrovias de carga no Brasil com dados de 2008 de acordo com as informações da ANTT (Associação Nacional dos Transportes Terrestres). Observando a tabela é verificado também que as empresas controladoras são as principais usuárias deste tipo de modal.

Principais Ferrovias de Carga do Brasil – 2008
Controladora Ferrovia   Km Produtos
Vale EFVM – Estrada de Ferro
Vitória à Minas
905 Minério de ferro, carvão mineral, soja,
produtos siderúrgicos e celulose
EFC – Estrada de Ferro Carajás   892 Minério de ferro, ferro gusa, manganês,
cobre e combustíveis derivados do
petróleo e da soja
FCA – Ferrovia Centro-
Atlântica S/A
8.066 Soja e farelo, calcário siderúrgico,
minério de ferro, fosfato, açúcar, milho
e fertilizantes
FNS – Ferrovia Norte-Sul  420 Soja e farelo, areia, fosfato e cloreto
de potássio
Vale, Companhia
Siderúrgica
Nacional (CSN),
Usiminas e
Gerdau
MRS – MRS Logística S/A  1.674 Minério de ferro, carvão mineral,
produtos siderúrgicos, ferro gusa,
cimento e soja
ALL ALL – América Latina Logística
Malha Sul S/A
7.304 Soja e farelo, açúcar, derivados de
petróleo e álcool, milho e cimento
ALL – América Latina Logística
Malha Paulista S/A 
1.989 Açúcar, cloreto de potássio, adubo, calcário
e derivados de petróleo e álcool
ALL – América Latina Logística
Malha Oeste S/A
1.945 Minério de ferro, soja e farelo, açúcar,
manganês, derivados de petróleo e
álcool
ALL – América Latina Logística
Malha Norte S/A
500 Soja e farelo, milho, óleo vegetal,
adubo e combustível
CSN  Transnordestina Logística S/A 4.207 Cimento, derivados de petróleo,
alumínio, calcário e coque
Gov. PR  Ferroeste 248 Soja e farelo, milho, contêiner e trigo
FTC  FTC – Ferrovia Tereza
Cristina S/A 
164 Carvão mineral
Total ----------          28.314 ----------
Fonte: ANTT (2009) – dados de 2008.

Fonte: IPEA (2010) - Transporte Ferroviário de Cargas no Brasil